Alternativa & Evolução

•Imposto de Renda (PF e PJ)
•Abertura, Transferência e Encerramento de Empresas
•Assessoria Contábil, Trabalhista e Fiscal
•Assessoria Jurídica

Mapa do site
 
 
e e e
 
Vídeo Institucional
 
e   e
e e e
 
 
e   e
e e e
 
Ultimas Noticias Últimas Noticias

Ultimas Noticias Artigos

Ultimas Noticias Legislação
 
e   e
e e e
 
Receba Novidades
 
e   e
e e e
  A - A +
  Imprima esta noticia
ICMS - VENDAS DESTINADAS A CONSUMIDOR FINAL
É contribuinte do ICMS aquela pessoa que encontra registrada no Cadastro de Contribuinte do ICMS no respectivo Estado?
Basta possuir Inscrição Estadual para ser considerado contribuinte?
Afinal, quem é o consumidor final para fins da legislação do ICMS?
Qual alíquota deve ser aplicada?


São dúvidas freqüentes que atormentam os estabelecimentos vendedores e revendedores de mercadorias ao emitirem as notas fiscais.


Para o Direito Tributário, o consumidor final é o adquirente da mercadoria ou bem, para uso ou consumo próprio ou integração no ativo imobilizado, onde efetivamente se encerra todas as etapas da circulação física, econômica ou jurídica da mercadoria ou bem.


Nas vendas direta a consumidor final dentro ou fora do Estado, não sendo o destinatário considerado contribuinte do ICMS, a alíquota a ser aplicada em cada operação será aquela afixada para às operações internas (19%, 18% ou 17%). Já nas operações interestaduais, o contribuinte remetente depara com algumas dificuldades, especialmente quanto à aplicação da alíquota correta para cada operação devendo identificar:

a) - se o destinatário é contribuinte do ICMS pra fins de aplicação da alíquota diferenciada e do recolhimento do diferencial de alíquotas pelo destinatário;

b) - o destino da mercadoria a ser dado pelo adquirente ou recebedor. Esta informação é importante para fins da inclusão do IPI na base de cálculo do ICMS.


Nos termos do inciso VII, parágrafo 2º da Constituição Federal de 1988, o ICMS em relação às operações que destinem mercadorias a consumidor final localizado em outro estado adotará:

a) - alíquota interestadual de (7% ou 12%) quando o destinatário for contribuinte do ICMS;

b) - alíquota interna quando o destinatário não for contribuinte do ICMS.


A destinação da diferença entre a alíquota interna e a interestadual pertence ao Estado destinatário da mercadoria, sempre que a mercadoria destinar-se a uso ou consumo e ativo imobilizado do adquirente, desde que o destinatário seja contribuinte do ICMS.


Considera-se contribuinte, sujeito passivo da obrigação tributária por excelência, é aquele que, consoante o inciso I, parágrafo único do artigo 121 do CTN, tem relação pessoal e direta com a situação que constitua o respectivo fato gerador. É aquele exsurge da materialidade da hipótese de incidência. É aquele que realiza, com habitualidade ou em volume que caracteriza intuito comercial operações e prestações sujeitas ao ICMS. conforme previsto no artigo 4º da Lei Complementar 87/1996.


Portanto, não basta a Inscrição no Cadastro de Contribuinte do Estado de destino das mercadorias para caracterizar a condição de contribuinte do estabelecimento destinatário. A inscrição é elemento que, na generalidade dos casos, exterioriza ou formaliza a condição de contribuinte, mas não necessariamente significa que a pessoa inscrita seja contribuinte do imposto, uma vez que este somente existirá juridicamente se praticar aquelas situações definidas como fato gerador do ICMS.


A atribuição da qualidade de contribuinte do ICMS está vinculada, antes de mais nada, à prática habitual do fato gerador do imposto e não à sua inscrição como tal.


Em termos práticos, temos:

a) - Venda ou transferência interna de mercadoria ou serviço de transporte para contribuinte: alíquota interna (19%, 18% ou 17%);

b) - Venda interestadual de mercadoria ou serviço de transporte para não contribuinte: alíquota interna (19%, 18% ou 17%);

c) - Venda ou transferência interestadual de mercadoria ou serviço de transporte para contribuinte: alíquota interestadual (7% ou 12%).


Especificamente no caso do item C o estabelecimento destinatário está obrigado ao recolhimento do diferencial de alíquotas incidente sobre a base de cálculo do imposto constante no documento fiscal.




Artigo Originalmente postado no Portal Tributario

Fonte: Portal Tributario
Autor: Alexandre Galhardo
 
e   e
e e e   e e e
 
Seja nosso cliente
    Documentos necessários  
Seja nosso cliente
Venha você também fazer parte do nosso grupo de clientes, que confiam em nosso trabalho executado com dedicação e responsabilidade para que sua empresa esteja sempre em dia com as obrigações Contábeis, Fiscais e Trabalhistas. Visite-nos e faça orçamento sem compromisso.
Documentos necessarios
e   e e   e
 
 
Localize-nos no mapa
   
Noticias + RecentesNotícias Recentes
22/11/2017 - Receita Federal cria a DME

08/11/2016 - Aprovado a Lei Complementar 155/2016 que alteras as regras do Simples Nacional a partir de 2018

24/08/2015 - Programa de geracao da DITR ja esta disponivel

03/07/2015 - Mudança na regra de retenção das contribuições sociais (4,65%)

11/05/2015 - PIS E COFINS - AUMENTO DAS ALíQUOTAS NA IMPORTAçãO

 
Localizacao no mapa
Clique aqui
   
 

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

 
 
e e e
  Central do Cliente  
 
e e e
  Últimas Cotações  

e   e
Indique este site para um amigo ALTERNATIVA & EVOLUÇÃO
Rua Francisco Silva Pires, Nº 35 no Bairro Sud Menuci, Cidade de Mogi das Cruzes/SP CEP: 08715-120
Tel: (11) 4796-5328 | (11) 4726-1734 | (11) 4726-7277 | (11) 4726-5329 | (11) 4726-5811 | (11) 2312-0253 | (11) 2821-1086
©2012 Alternativa & Evolução - Todos direitos reservados Tempo de Execução: 0.008204 segundos